Em novembro de 2016 fui sozinha para o Uruguay, fiquei dez dias passeando por lá e visitei seis cidades, as quais estão pormenorizadas em posts específicos sobre cada uma delas: Colonia del Sacramento, Montevideo, Piriápolis, Punta del Este (com visita à Casapueblo), Cabo Polonio e Punta del Diablo (com visita ao Parque Nacional e Fortaleza de Santa Teresa). Há também um post com detalhes do meu roteiro (inclusive gastos) e outro com algumas informações úteis para o viajante que quer conhecer o país.

Esse post diz respeito ao meu segundo destino no Uruguay: Montevideo. Após visitar Colonia del Sacramento, fui em direção a Montevideo com o ônibus da COT (354 pesos uruguaios = 45 reais), o qual parou no Terminal Rodoviário Tres Cruces e de lá peguei um táxi até a casa da anfitriã do Airbnb. Eu cheguei à cidade às 20h do dia 11/11/2016 e fui embora no dia 14 por volta de 8h30min da manhã, ou seja, tive somente dois dias para explorar a capital do Uruguay, os quais não foram suficientes para conhecer grande parte do que a cidade tem a oferecer.

Inicio o post propriamente dito comentando sobre uma característica cultural que me chamou a atenção e que esteve mais presente em Montevideo, trata-se do forte ‘vício’ que os uruguaios têm para com o mate, em qualquer lugar que você vá, verá diversas pessoas carregando seus mates junto ao corpo. Não importa o local e nem a ocasião, para eles toda hora é hora de tomar um bom mate, seja no restaurante, no shopping, no trabalho, na praia, andando na rua, sempre terá alguém apreciando o seu mate.

Com relação à hospedagem decidi experimentar os serviços do site Airbnb e adorei! Depois de pesquisar bastante as opções oferecidas no site, escolhi alugar um quarto com banheiro privativo no apartamento da anfitriã Marisa e a decisão não poderia ter sido melhor. O apartamento está em um prédio bem localizado e seguro, as áreas em comum são de fácil acesso ao hóspede e o ambiente é organizado e limpo. A anfitriã mora com a filha e o fofo gatinho delas, as duas são simpáticas e estavam sempre dispostas a ajudar. O valor pago pela diária (já com as taxas) em quarto com banheiro privativo e café da manhã incluso foi de R$71,00. Em minha opinião essa é uma ótima opção, pois, além do bom preço, o viajante também tem o bônus da imersão cultural ao conviver com os moradores, tendo a oportunidade única de participar do cotidiano deles, bem como compartilhar histórias e fazer novas amizades.

No meu primeiro dia (sábado) de turista em Montevideo acordei cedo e fui até a Playa Pocitos, a qual é banhada pelo Rio de la Plata, a fim de caminhar pela Rambla e tirar fotos no letreiro da cidade, em seguida passeei pelo Parque Rodó, estive na Playa Ramírez e almocei por lá em um restaurante chamado Soprano’s, após o almoço voltei para o apartamento. À tarde, a anfitriã do Airbnb me convidou para conhecer a região da Avenida 18 de Julio. Minha locomoção pela cidade no período da manhã foi feita toda a pé, utilizando o GPS do celular, e o ‘city tour’ realizado à tarde foi feito com o carro da anfitriã.

No segundo e último dia (domingo) de passeio pela cidade caminhei do apartamento onde fiquei hospedada até o Mercado del Puerto, passando pela Avenida 18 de Julio e pela Peatonal Sarandí (calçadão para pedestres), parando pelo caminho para contemplar a bela arquitetura das construções e tirar algumas fotos, além de visitar a Feira Tristán Narvaja (a qual só acontece aos domingos). Após almoçar no Mercado del Puerto, peguei o ônibus circular e fui em direção ao Parque Rodó a fim de prestigiar a feira de artesanato, posteriormente utilizei o táxi para ir ao Bairro Prado, onde há um lindíssimo Rosedal e o Jardim Botânico, de lá peguei outro circular até a Plaza Independencia, onde combinei de encontrar com a anfitriã a fim de prestigiarmos um desfile no Hotel Radisson, e finalizei o meu dia com uma corrida de táxi até o apartamento do Airbnb. O valor da passagem do ônibus circular é único – 30 pesos uruguaios (4 reais) –, independente do seu destino final. Durante minhas pesquisas prévias sobre o Uruguay li em diferentes blogs que passar o domingo em Montevideo seria um dia perdido, é fato que o comércio não funciona (nem as casas de câmbio) e algumas atrações fecham, porém há sim lugares para ir e coisas para conhecer como feiras, parques, praças e praias, portanto vá com a mente aberta, sem se limitar aos pontos turísticos tradicionais, e aproveite o seu passeio pela capital uruguaia.

A seguir há a descrição das atrações e pontos turísticos que visitei em Montevideo durante a minha breve estadia por lá. As respectivas fotos foram tiradas por mim.

  • Rambla e Playa Pocitos: praia banhada pelo Rio de la Plata. O famoso letreiro de Montevideo está localizado nessa região.
  • Playa Ramírez: praia banhada pelo Rio de la Plata.
  • Parque Rodó: estive no parque em dois momentos, no sábado passeei pelo local e no domingo voltei para prestigiar a feira de artesanato. O Parque Rodó fica em frente a Playa Ramírez, é enorme e muito bonito (apesar das pichações). Enquanto estive por lá, vi pessoas fazendo piquenique, caminhando, lendo livro, crianças brincando, casais namorando e indivíduos que estavam apenas aproveitando o belo parque para descansar deitados na grama e ouvindo música. É realmente um lugar que merece ser visitado durante a sua estadia em Montevideo.
  • Bairro Prado: nessa região eu visitei o belíssimo Rosedal (jardim de rosas) e o Jardim Botânico.

Rosedal

Jardim Botânico

  • Avenida 18 de Julio: Trata-se da avenida mais conhecida em Montevideo e se estende da Plaza Independencia até o Parque Batlle. Muitas atrações e pontos turísticos estão concentrados nessa região. Estive na Avenida 18 de Julio em dois momentos, a primeira vez foi no sábado (12/11) quando fiz o city tour com a carona oferecida pela anfitriã do Airbnb e a segunda ocasião ocorreu no domingo (13/11), pois eu queria conhecer a Feira Tristán Narvaja e depois caminhar até o Mercado del Puerto, locais facilmente acessados através da Avenida em questão. No sábado estive na Plaza Cagancha, Plaza Fabini, Centro de Exposições Subte, Plaza de la Constitución e Plaza Independencia. No domingo passei pelo Obelisco a los Constituyentes, estive na Feira Tristán Narvaja, conheci a Fonte dos Cadeados, a Estátua de Carlos Gardel e a Iglesia Nuestra Señora del Carmen (Cordón). Na Plaza Independencia localiza-se a Puerta de la Ciudadela, a qual separa a Ciudad Vieja do Centro de Montevideo. Abaixo há algumas fotos dos locais que visitei nessa região.

– Plaza Cagancha.

– Plaza Fabini e Centro de Exposições Subte, o qual fica no subsolo da Plaza Fabini (quando eu estive por lá estava tendo uma exposição de obras de arte brasileiras!).

– Plaza de la Constitución: local onde está a Igreja Matriz. No dia em que visitei essa praça, estava tendo uma apresentação musical de rua com cantores afinadíssimos que encantaram a todos, inclusive a bebê da foto abaixo.

– Plaza Independencia: é a praça mais famosa de Montevideo e lá encontramos a Puerta de la Ciudadela, o Palácio Salvo, a Estátua de José Gervasio Artigas e o Mausoléu subterrâneo que contém os restos mortais de Artigas.

– Obelisco a los Constituyentes de 1830: monumento em bronze e granito de 40 metros de altura que foi construído em 1938.

img_8832-600x800

– Fonte dos Cadeados e Estátua de Carlos Gardel.

– Iglesia Nuestra Señora del Carmen (Cordón).

– Feira Tristán Narvaja: é uma feira de rua que acontece aos domingos das 9h às 15h (aproximadamente), há inúmeras barraquinhas para serem exploradas e algumas lojas também abrem suas portas. Lá encontramos de tudo um pouco: frutas, verduras, especiarias da gastronomia local, flores e plantas, roupas e sapatos (novos e usados), acessórios, antiguidades, quinquilharias, artesanato, livros, produtos de higiene pessoal, animais de estimação, brinquedos, entre outras coisas. Inicia-se na esquina da Avenida 18 de Julio com a Rua Tristán Narvaja e se estende por vários quarteirões. Essa feira ocorre há mais de 100 anos e vale a pena conhecê-la. 

  • Ciudad Vieja: Trata-se do bairro mais antigo de Montevideo. Após atravessar a Puerta de la Ciudadela, na Plaza Independencia, já estamos na Ciudad Vieja. Caminhei pela Peatonal Sarandí, passeei pela Plaza Zabala, perambulei pelo Mercado de los Artesanos, almocei no Mercado del Puerto e visitei o Museo del Carnaval. O famoso Teatro Solís está localizado na Ciudad Vieja e o visitei no sábado (12/11) durante o city tour que fiz com a carona oferecida pela anfitriã do Airbnb, porém não realizei a visita guiada. Abaixo há algumas fotos que tirei nessa região.

– Teatro Solís: está localizado na Ciudad Vieja, próximo à Plaza Independencia. Há a opção de fazer a visita guiada (que ouvi ser imperdível), porém, como eu só tinha dois dias em Montevideo, preferi conhecer o Teatro apenas superficialmente. Na época em que estive no local estava ocorrendo a exposição das obras vencedoras do 32º Concurso Nacional Escolar de Expressão Plástica, os participantes desse concurso são alunos do 4º, 5º e 6º anos das escolas públicas do país.

– Peatonal Sarandí: é um calçadão somente para pedestres. Passeei pela Sarandí em um domingo, havia poucas pessoas por lá e os estabelecimentos estavam fechados, mas isso não atrapalhou em nada o passeio, afinal o meu objetivo não era comprar e sim observar as construções históricas e conhecer o lugar.

– Plaza Zabala.

– Mercado de los Artesanos: há peças bacanas e bonitas, porém os preços são elevados. 

– Mercado del Puerto: o foco maior do lugar é a culinária, com opções variadas de restaurantes. Eu almocei no restaurante L’Amitie e gastei 560 pesos uruguaios, aproximadamente 70 reais (valor para uma única pessoa!).

– Museo del Carnaval: o ingresso custa 8 reais (aceitam o pagamento em real). 

Obrigada e aguardo a sua próxima visita!